Ciclos do Nitrogênio.
28 de fevereiro de 2018
Canudos, se tornando um problema global.
9 de abril de 2018

Remediação Para Áreas Contaminadas.
O ministério do Meio Ambiente (MMA) definiu que, área contaminada é todo e qualquer, terreno, local, edificação, instalação ou benfeitoria que tenha quantidades ou concentração de qualquer substancia ou resíduo em situações que cause ou possa causar danos à saúde humano e/ou ao meio ambiente.
No Brasil podemos citar que as primeiras áreas contaminadas, foram reconhecidas na década de 1980, áreas essas contaminadas como, por exemplo, lixões e aterros sanitários em processo de encerramento, esse tipo de processo pode causar riscos à saúde humana, ainda contaminar o solo e a agua e desvalorizar financeiramente os imóveis das redondezas.
O serviço de remediação busca como solução a remoção do foco de contaminação, a redução da contaminação do solo e da agua subterrânea para os níveis aceitáveis ambientalmente.
A identificação da área contaminada torna-se um processo que envolve alguns pontos importantes que devem ser estudados minuciosamente com a intenção de definir qual será a melhor forma de remediar aquela área com a tal contaminação. Utilizando a tecnologia adotada para a descontaminação de uma área deve levar em consideração as características intrínsecas de cada ponto de contaminação, é preciso reconhecer o cenário local. Este processo envolve uma avaliação preliminar, investigação confirmatória e detalhada, avaliação de risco e definição de quais tecnologias de remediação utilizar para reabilitação da área, até as concentrações das substâncias detectadas atingirem níveis aceitáveis para uso pretendido futuro.
Podemos citar duas técnicas utilizadas para fazer a remediação de uma área contaminada, conforme descrito abaixo:
• Técnicas in situ: sistema de bombeamento (pump and treat); Sistema de Extração de vapores (soil vapor extraction); Sistema de Extração Multifásica; Processos Oxidativos Avançados; Barreiras Reativas, Barreiras Hidráulicas e Biorremediação.
• Técnicas de remediações ex situ: escavação, remoção e tratamento com destinação final adequada, as quais podem ser: Aterro (local destinado à decomposição final de resíduos sólidos gerados pelas atividades humanas); Coprocessamento (utilização de fornos de cimento com o aproveitamento da energia contida nos resíduos); Unidade de dessorção térmica (trata os solos contaminados com hidrocarbonetos não recicláveis usando energia térmica para separar fisicamente compostos voláteis do solo); Biopilhas (utilizadas para reduzir concentrações de hidrocarbonetos de petróleo presentes no solo através da biodegradação).